Uncategorized

Sobre Personalidade e Psicoterapia

Anúncios

O que faz uma pessoa ser diferente da outra?

Como compreender a personalidade?

Uma perspectiva de visão atualmente bastante reconhecida por pesquisadores classifica a personalidade em cinco classes: extroversão, abertura, consciência, concordabilidade e neuroticismo.  

De acordo com esta ótica existem níveis de intensidade dentro de cada fator, que variam de fraca a forte. O ponto neste intervalo define o que é chamado traço. 

O traço traz consigo aspectos positivos e negativos no que se refere a adaptação ao ambiente e a mistura deles auxilia a compreender a singularidade da personalidade. 

 

Extroversão 

Pessoas extrovertidas estão voltadas para fora. Sua atenção foca as relações com as pessoas e estão predispostas a iniciar e manter conversas pois sentem intensas emoções positivas nestas interações.

Tendem a fazer amizade com facilidade, participar de grupos e assumir posições de chefia.

O aspecto negativo é que às vezes são agressivas e desagradáveis. 

Preferem as sensações de adrenalina em detrimento à segurança e estabilidade, podendo facilmente se envolver, por exemplo, em acidentes de trânsito. 

Por outro lado, os introvertidos, estão voltados para dentro de si, com seus pensamentos e suas emoções. Tem mais inclinação a escutar e buscam soluções para os problemas, sem necessariamente evitar as pessoas. 

O aspecto negativo da introversão, se muito intenso, é a deficiência de habilidades sociais que gera ansiedade e evitação de situações sociais.

 

Abertura

A abertura de um indivíduo reflete a tendência que o mesmo tem de ter novas experiências e de adquirir novos conhecimentos. Gostam de novidades e apreciam o aprendizado pelo simples prazer da experiência.

São apreciadores de artes e cultura. Tendem, por exemplo, a fazer tatuagens e de ir a concertos. 

O perigo é que pessoas com alto grau de abertura, em função de estarem predispostas a ter experiências com intensidade, podem estar sucetíveis a desenvolver transtornos de humor como o bipolar.

Já as pessoas com baixa abertura tendem a ser conservadores e gostam de rotina. Tendem a ser inflexíveis preferindo a estabilidade à adrenalina da mudança. Temem uma ameaça do diferente que uma nova experiência pode trazer preferindo a manutenção do status quo. O aspecto negativo é que a pessoa acaba por deixar de ter novas experiências que podem mudar a sua qualidade de vida para melhor.

 

Consciência

Pessoas que possuem um elevado nível de consciência são metódicas, organizadas e confiáveis. Apresentam excelente habilidade de controlar os impulsos. 

São estudiosos, tem sucesso acadêmico e profissional. 

O lado negativo é que podem ser inflexíveis, obsessivos e com dificuldade para relaxar.

A deficiência no fator faz com que a pessoa seja intolerante à gratificação não imediata, conduz a impulsividade e ao fracasso nas atividades laborais. Pode levar ao desenvolvimento de adicção em drogas e álcool, bem como induzir a atividades criminosas. 

 

Concordabilidade

Pessoas evoluídas neste fator tendem a ser cooperativas e a ressaltar aspectos positivos dos outros. São pessoas confiáveis, modestas e empáticas. 

Se importam com os sentimentos dos outros e tendem a emprestar objetos aos amigos e a fazerem doações. 

Já pessoas que carecem de sensibilidade neste fator tendem a ser antagonistas e agressivas. Podem até compreender os sentimentos dos outros mas não dão valor como os dos seus próprios.

 Pessoas que convivem com outros que apresentam baixo fator de concordabilidade precisam lidar com muitas batidas de porta e elevações nos tons de voz, o que é bastante desagradável.

Pessoas com baixo índice de concordabilidade tem maior tendência a apresentar doenças cardiovasculares na vida mais tardia.

 

Neuroticismo

Este conceito em nada se assemelha à definição de neurose utilizada por Freud ao definir transtornos emocionais. A definição contemporânea de neuroticismo se relaciona ao comportamento de ser ansioso, preocupado, se queixar e agir emocionalmente de forma intensa à situações de estresse.

Constantemente duvidam das suas próprias habilidades e das suas resoluções. 

Como fator positivo, talvez a única vantagem adaptativa seja a de dar extrema importância aos problemas se comparados com pessoas deficientes neste fator que podem ignorar questões importantes, e desta forma acabar sendo disfuncional. 

A probabilidade destas pessoas desenvolverem depressão é muito maior comparado com pessoas com baixo escore neste fator.

 

Reflexões e Psicoterapia

A personalidade cristaliza após a infância e é bastante resistente a mudanças, porém algumas “pedras nos sapatos” podem ser retiradas no transcorrer do tempo.

Aristóteles já fazia refência a prudência do meio termo em seu “Ética a  Nicômaco”, dedicado a seu filho para lhe auxiliar em sua educação. Ele faz referência  ao ideal do equilíbrio, que consiste no ponto entre o excesso e a deficiência. Que o aperfeiçoamento consiste em se abster dos excessos de satisfação de prazeres imediatos e se dedicar ao que realmente traz felicidade a longo prazo. 

Porém, não é intuito ajustar para o ponto do meio as pessoas que buscam psicoterapia, seria pretensioso. Seria um lugar de transformação para pessoas iguais, impossível! Se todas as pessoas fossem iguais seria chato e monótono. Talvez conduzisse ao próprio desinteresse de umas as outras, poderia ser o fim das paixões e das atrações. Na imaginação de Aldous Huxley no seu “Admirável Mundo Novo” seria perigoso.

Cada pessoa é singular e única. Um pode ser feliz sendo extrovertido, o outro pode ser na sua introversão. Cada um pode ser o que realmente é, sem sofrer.

Clovis de Barros Filho no seu livro “A vida que vale a pena ser vivida” faz referência a idéia da felicidade com a prática das aptidões. Em sua reflexão cada pessoa tem seus talentos e dons. Algumas as reconhecem, praticam e as desenvolvem no decorrer da vida. Outras acabam existindo com esta latência, uma pena, talvez desperdício. 

Se for perguntado qual é o sinal de que algo deve ser feito, o que merece se trabalhado e transformado no comportamento? A resposta é: sofrimento. Quando existe sofrimento é hora de fazer algo a respeito!

Por fim, nunca é tarde para iniciar tal jornada do aperfeiçoamento pessoal. Nunca é tarde para a existência de uma vida mais feliz, plena e realizada. 

Anúncios
Use as setas <> para continuar navegando

Anúncios